Opinião | Razões Para Viver | O Mundo à Beira de um Ataque de Nervos, Matt Haig



Título original: Reasons to Stay Alive
Título original: Notes on a Nervous Planet
Autor: Matt Haig
Editora: Porto Editora
Ano: 2016
Ano:2019
Páginas: 264
Páginas: 376



Um livro sobre como tirar o máximo partido da vida enquanto cá estamos. 
Aos 24 anos, o mundo de Matt Haig desabou:
«Durante algum tempo, fiquei parado junto ao abismo. Primeiro, a ganhar coragem para morrer; depois, a ganhar coragem para viver.»
Este é um relato na primeira pessoa sobre a forma como Matt mergulhou numa crise profunda, triunfou sobre uma doença que quase o matou e reaprendeu a viver.
Quando se está deprimido, sentimos que estamos sozinhos e que mais ninguém está a passar exatamente por aquilo que nos está a acontecer. Temos tanto medo de que os outros nos achem loucos que acabamos por interiorizar tudo. Temos tanto medo de que as pessoas nos ostracizem ainda mais, que acabamos por nos fechar numa concha. E não falamos sobre o que se passa connosco, o que é uma pena, pois ajuda se falarmos sobre o assunto.


E se o modo como vivemos estivesse programado para nos deixar infelizes? Toda a sociedade de consumo assenta na ideia de nos criar o desejo de ter o último modelo, em vez de nos contentarmos com o que temos; somos encorajados a sairmos de nós e a querermos outras vidas: uma receita quase infalível para a infelicidade.

Os índices de stresse e ansiedade estão a subir. Estamos cada vez mais ligados uns aos outros e, no entanto, cada vez mais isolados.

•Como manter o equilíbrio num planeta que nos enlouquece?
•Como preservar a humanidade numa era tão obsessivamente tecnológica?
•Como ser feliz quando somos incentivados a cultivar a ansiedade?


O mundo à beira de um ataque de nervos oferece uma visão pessoal e importante que procura compreender de que forma nos podemos sentir felizes, humanos e íntegros em pleno século XXI.




Em primeiro lugar quero deixar aqui expresso em avanço que não sou leitora assídua de não-ficção. Aliás, arriscaria até dizer que o meu único contacto com a não-ficção deu-se apenas na faculdade. E, mesmo aí, os livros que lia eram livros técnicos e não propriamente não-ficção. Só não arrisco dizê-lo com 100% de certeza porque me pode sempre escapar alguma coisa à memória.
Apesar de tudo, decidi solicitar estes dois livros à Porto Editora (e agradeço, desde já, a simpatia e o facto de me terem enviado tão prontamente os dois livros) porque achei que seria interessante fazer uma review dos dois em conjunto. E não estava completamente enganada. Apesar destes livros se lerem de forma independente, existem alguns factos do primeiro (Razões Para Viver) que são referidas no segundo (O Mundo à Beira de um Ataque de Nervos).
E devo dizer-vos... Wow! Fiquei pasmada com a rapidez com que li estes livros, com a fluidez da escrita, com a partilha que Matt Haig faz da sua experiência pessoal com a depressão, a ansiedade e outros «distúrbios» mentais, com aquilo por que passou no processo de tratamento da depressão... Com a forma como tudo é tão actual e nos deixa a reflectir, e como me levou a pensar «não sou a única a pensar desta forma, se calhar não estou assim tão errada e não sou assim tão 'outsider' nesta sociedade quanto isso!».
Em Razões Para Viver, Matt Haig fala-nos da sua experiência e da forma como lidou com a depressão e com tudo o que a doença afecta, psicológica e fisicamente. Fala-nos de pensamentos suicidas, de como a depressão difere de pessoa para pessoa e, acreditem, para quem já lidou com a doença pessoalmente e de perto, em familiares, é mesmo diferente de pessoa para pessoa. Mas quem já lá esteve, consegue perceber os sinais nas outras pessoas. Quem nunca lá esteve, tem neste livro a oportunidade perfeita para (tentar) perceber o que é a doença, de que forma pode lidar com ela e, mais importante ainda, como pode ajudar a pessoa que está em depressão.
Como o próprio título indica, existem Razões Para Viver e Matt Haig acabou por encontrar as suas. Podemos lê-las neste livro e até, quem sabe, descobrir quais são as nossas.
Acho, sinceramente, que esta perspectiva, aliada à forma como o livro está construído, em capítulos curtos, listas, citações, etc. é a forma ideal e perfeita para uma aproximação à doença, sem tabus e sem rodeios.
E se no primeiro livro Matt Haig fala da sua experiência na primeira pessoa, extrapolando aquilo que sente para o que as outras pessoas do mundo podem estar também a sentir, em O Mundo à Beira de Um Ataque de Nervos, o autor oferece-nos uma espécie de manual de psicologia invertida. Fala-nos de um mundo ansioso, que trabalha a mil à hora, que tem dificuldade em dormir e que se preocupa com todo o tipo de situações possíveis e imaginárias. Na realidade, somos nós. As pessoas cada vez mais sofrem de ansiedade (e muitas vezes não se dão conta disso, ou não o aceitam) e não sabem cuidar de si próprias, porque estão demasiado ocupadas a viver a vida nas redes sociais, a trabalhar, ou simplesmente a absorver o stress do mundo.
Neste livro temos algumas dicas que nos podem ajudar a sobreviver neste mundo caótico, que funciona 24h por dia, todos os dias. Matt Haig defende, no entanto, que devemos abstrair-nos de certas coisas, dedicar tempo a actividades relaxantes ou que estimulem o sono, e até a diminuição da carga horária de trabalho. Tudo isto (com mais algumas dicas à mistura) tem o objectivo de contribuir para a nossa sanidade mental, para ajudar a que sejamos mais produtivos e que estejamos melhor no mundo, connosco e com os que nos rodeiam. Acima de tudo, o autor apela a que não nos comparemos aos outros.
Achei particularmente interessante, como leitora, as inúmeras referências literárias feitas em ambos os livros, assim como a forma como Matt Haig sugere que a leitura pode ser uma óptima terapia, como nos pode aproximar das pessoas. Haig fala ainda sobre alguns dos benefícios que advêm da leitura de um livro que nos entretém e que nos diz alguma coisa, que tem significado.
Este livro, à semelhança do primeiro, é extremamente importante não só para quem lida com a depressão, como também para quem lida com outras doenças mentais, a ansiedade, a baixa auto-estima, entre outros.
Em conclusão, devo dizer que fiquei extremamente surpreendida pela positiva com ambos os livros, que irei recomendar a toda a gente que encontre pelo meu caminho e que os manterei na minha mesa de cabeceira para consultar as (muitas) marcações que fiz, em dias em que a ansiedade queira levar a melhor de mim e em que o mundo me esteja a deixar realmente à beira de um ataque de nervos. Imprescindíveis.


Recomendo vivamente a todos, sem qualquer excepção. São dois livros de leitura obrigatória neste século. A compreensão da depressão e das suas consequências e de tudo o que lhe está associado pode mesmo salvar vidas. Leiam este livro livres de preconceitos e tabus, com consciência de que o vosso conhecimento e compreensão pode ser a razão para alguém viver 💜

Recomendo ainda que consultem o espaço da Porto Editora dedicado ao livro Razões Para Viver: https://www.portoeditora.pt/razoesparaviver/



Classificação no Goodreads: ✰✰✰














Já leram este livro ou têm curiosidade em lê-lo? Deixem a vossa opinião!
Participem no Desafio Literário do blog!









 
*Este blog é um afiliado Wook, BertrandBook Depository e Amazon UK e ES. Ao comprarem através do meu link estão a contribuir com uma pequeníssima percentagem que poderá contribuir para o crescimento do mesmo. Obrigada💜*

Comentários

  1. Fiquei super interessada neste autor! Gostei imenso de ler a tua review e já adicionei os títulos à minha lista de livros a ler.
    Comecei a seguir o blog. :)
    Beijinhos
    littlewonderlandxo.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Awww, obrigada, Mariana <3
      São livros tão importantes... Fico mesmo feliz que os queiras ler! Certamente que não te irás arrepender :)
      Vou dar um saltinho ao Wonder :D
      Obrigada!
      Beijinhos :*

      Eliminar
  2. Eu gostei tantoooo desses livros. Ajudaram-me imenso e é ótima a maneira como o autor escreve.
    Beijinhos, Fofocas Literárias

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares