Sagas ou stand-alones?

Estamos em Portugal e, como tal, enfrentamos diversos problemas e questões relacionadas com livros.
Muitos de vocês já se deverão ter deparado com um problema tão comum como é o das sagas que não são publicadas na íntegra.
Eu olho de relance para as minhas estantes e rapidamente consigo achar uma dúzia (!!) de livros dos quais não tenho - e sei que nunca vou ter - a continuação em português.
Enquanto umas editoras ainda mostram alguma preocupação em dar explicações sobre tal fenómeno ou outras que lá traduzem dois livros numa trilogia, outras há que traduzem apenas o primeiro e até são capazes de nos vender aquele livro como se fosse um stand-alone. Para pessoas mais desatentas, poderá resultar. Existem, de facto, imensas trilogias ou sagas que se poderiam ficar pelo primeiro. Já noutras, o final do primeiro livro é claramente um build up para os seguintes.
Em Portugal isto acontece imenso e, por essa razão, este ano tive que tomar a decisão drástica de comprar tão somente stand-alones em português. Claro que como compradora incontrolável de livros, já quebrei essa decisão. Mas, ainda assim, foram muito muito poucos os que comprei nessas condições.

Isto leva-nos necessariamente a outro problema... Com a incerteza de saber se as séries irão ser traduzidas na íntegra e quando é que irão ser traduzidas, acredito que haja cada vez mais leitores a comprar livros em inglês - até ao início deste ano eu lia somente em português e só queria livros em português. Se sou portuguesa e os livros existem em Portugal, então por que motivo ir buscá-los fora?
No dia em que parei para olhar para as minhas estantes e vi o número ridículo de livros que quero imenso ler e ainda não li por não existir a continuação na língua de Camões, juntei-me a esse clã dos leitores em inglês.
Tomei então outra decisão: vou ler os primeiros de cada saga em português, aqueles que tiverem o meu selo de aprovação irei comprar em inglês a saga completa e daqueles que não gostar, irei vendê-los, doá-los ou, quem sabe, fazer um giveaway ;)
Não estou aqui a defender nenhum lado - como já se viu, sou defensora de ler na língua nativa - mas, infelizmente para as nossas editoras, comprar as sagas em inglês acaba por nos trazer todas as vantagens: estão completas, estão acessíveis no imediato, são mais baratas e estão, muitas vezes, na língua original.

Não sou uma pessoa que prefira sagas a stand-alones, cada livro é um livro e, para mim, todos têm potencial dentro dos géneros que gosto. Tenho livros preferidos em ambas as "secções" mas, provavelmente como a maioria dos leitores, tenho inevitavelmente uma quantidade gigantesca de sagas porque, aparentemente, hoje em dia é o que está a dar.



E vocês, têm alguma preferência? Alguma saga que gostariam de ver acabada em português? Partilhem as vossas opiniões :)

Happy Halloween Everyone!





Comentários

  1. Adoro! 😍 Gostava muito de ver a saga do Aprendiz do Mago continuada em português, no entanto lançaram três pelo filme que saiu no cinema e não lançaram mais, pois o filme não teve sucesso. Verdade seja dita, o filme é uma caca e não tem nada a ver com a história dos livros, começando pelo facto de nos livros o protagonista ser uma criança de 10 anos e no filme ser um jovem, que(spoiler alert) até perde os três... Ou seja, os livros são muito giros e nós ficámos sem a restante história em português. Como estou inspirada, ainda me lanço na saga do Nicholas Flamel, do Michael Scott, que em português se ficou pelo quarto volume, em 2011. Provavelmente, terei que ir para o inglês nos dois casos... 😉

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada :) <3 Quanto à saga Os Segredos de O Imortal Nicholas Flamel, ainda saiu o quinto volume - O Bruxo - em Julho de 2014. Já não é da Gailivro, é da Asa, portanto continua a ser Leya, para todos os efeitos

      Eliminar
    2. Aaah ya!! Eu tenho esse também 😂 o Tony é que não o viu, quando lhe perguntei o nome do último que tenho 😝

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares