Book Review - Nevermoor: The Trials of Morrigan Crow

A primeira review do ano é sobre um livro que comecei a ler ainda em 2018 mas que só consegui acabar já este ano. Este livro anda nas bocas do mundo e a Editora Nuvem de Letras decidiu pegar-lhe e dar a conhecer também aos portugueses este livro. Uma boa aposta editorial. No entanto, não tenho visto muita gente entusiasmada com este livro por cá... Será porque não têm interesse? Por algum tipo de preconceito em ler livros middle grade?
Embora não fizesse parte das minhas prioridades de leitura, consegui encontrar um exemplar estupidamente barato e decidi dar-lhe uma oportunidade antes de o deixar ficar anos esquecido na estante - e porque lá fora já foi lançado o segundo livro da série - para ver se o hype era real.

Título: Nevermoor - O Desafio de Morrigan Crow
Autora: Jessica Townsend
Editora: Nuvem de Letras
Ano: 2018
Páginas: 420



Uma história de cortar a respiração sobre uma rapariga amaldiçoada que, ao escapar à própria morte, acaba num mundo mágico apenas para ser posta à prova de maneiras jamais imaginadas! Morrigan Crow nasceu na hora e no lugar errado. Condenada a morrer à meia-noite do dia em que fizer 11 anos, terá a oportunidade de mudar de vida quando um homem chamado Jupiter a envia para a mágica cidade de Nevermoor. Aí, descobre que foi escolhida para se candidatar a um lugar na organização mais prestigiante da cidade: a Wundrous Society. Ela terá de competir em 4 perigosos campeonatos contra centenas de outras crianças. Para poder permanecer em Nevermoor em segurança, terá de passar nesses testes.




Nevermoor - O Desafio de Morrigan Crow é, como já vimos, o primeiro livro na série Nevermoor, de Jessica Townsend. As comparações a Harry Potter são mais que muitas e o hype, especialmente nos EUA, é brutal.
O capítulo introdutório é extremamente cativante e prende-nos de uma forma demasiado enganadora.  Ao início consegui perceber as comparações, muito embora o Harry Potter seja mais complexo e, na minha opinião, para um público ligeiramente mais crescido que o público de Nevermoor. Mas, ao longo do livro, acho que as parecenças acabam por se perder.
Ao ler Nevermoor não nos devemos esquecer que este livro é um volume introdutório ao mundo e ao seu sistema de magia, assim como aos personagens. No entanto, sinto que teve demasiados altos e baixos. Esperava uma narrativa mais constante e de leitura mais rápida. Por vezes lutei contra a vontade de largar o livro, mas acho que isso é só uma coisa minha, que pode não ter a menor influência para outros leitores.
Se tiverem problemas com o trope do «chosen one», então esqueçam Nevermoor. No entanto, não deixa de ser um livro que contempla a amizade, o acreditar nos outros e em nós próprios, com uma pitada de diversão e muita aventura à mistura.
Achei que ia adorar este livro mas, infelizmente, não aconteceu. É giro, mas não deixou grande marca. Não me parece que seja um sucesso mundial ao nível do Harry Potter, nem fiquei com enorme curiosidade para ler o segundo volume da série.


Recomendo a fãs de Roald Dahl e Harry Potter, com a salvagarda que não vão encontrar livros semelhantes, mas sim o mesmo tipo de tropes e público alvo.



Classificação no Goodreads: ✰✰✰

Comentários

  1. R: amanhã sai a TAG :D muito obrigada mais uma vez!

    Beijinhos,
    O meu reino da noite
    facebook | instagram | bloglovin

    ResponderEliminar
  2. R: eu sou a que mais fala da mulher porque ela ainda não está traduzida para Português xD infelizmente!
    Já tenho demográfica então para escrever aquelas livros eróticos ahahah tenho que me debruçar nisso!
    Opá nenhum mal em Panem... adoro Hunger Games mas preferia não estar lá pois com a minha sorte ia ser um tributo com certeza ahahah
    Falar sobre a experiência de ler Jane Austen ou de ler um clássico?
    Btw agora que consegues ler os livros se quiseres uma lista de livros é só dizeres, se bem que já sabes que vou dizer: PRIMEIRO TENS QUE LER THE COVENANT MULHER!!!

    Beijinhos,
    O meu reino da noite
    facebook | instagram | bloglovin

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahaha, diz-me a experiência que se ainda não traduziram, também já não traduzem... Posso estar enganada, mas...
      xD Aposto tudo em como me calhava ser tributo também. Ia ficar feita em papa em 2 segundos lol
      Hum.... Sobre os dois? Mas se calhar Jane Austen em especial. Como são clássicos normalmente há sempre algum medo em lê-los (eu tenho um medo que me pelo, confesso!) mas toda a gente que leu gosta bastante e diz que não é nada como os clássicos a que estamos habituados, maçudos e complexos até cair para o lado e secantes, a bom dizer.
      I know, I know.............. Ainda não passei nenhum para o telemóvel. Sou a vergonha da minha cara xD

      Beijinhos :D

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares